Fotografia de Laudo Luiz Magalhães compôs salão da Casa de Cultura

 Fotografia de Laudo Luiz Magalhães compôs salão da Casa de Cultura

Foto do homenageado foi descerrada na tarde, de terça-feira (19)

Casa cheia para homenagear Laudo Luiz Magalhães, que teve a fotografia descerrada no Salão de Fotografias e a biografia registrada para sempre no Livro de Ouro, arquivado na Fundação Casa de Cultura, na terça-feira (19). 

Laudo Magalhães faleceu em 5 de junho de 2021. Ele deixou em Paracatu um exemplo do servir, um exemplo de trabalho pelo coletivo e essa homenagem eterniza este exemplo para todas as gerações futuras. 

A indicação do Laudo foi feita pela comunidade, analisada e aprovada pelo Conselho de Fotografias, um órgão representativo da sociedade paracatuense, formado por membros das diversas entidades culturais da cidade, assim como todas as homenagens feitas pelo salão, que é um espaço determinado para homenagear personalidades, que dignificam ou dignificaram o nome de Paracatu, nas áreas cultural, social, política, empresarial, econômica, comunitária e científica, entre outras.

 A solenidade contou com a presença do prefeito de Paracatu, Igor Santos, do presidente da Fundação Casa de Cultura, Igor Farias, da presidente do Conselho do Salão de Fotografias, Maria das Graças Caetano Jales, do presidente da Câmara de Vereadores, Manoel Alves, a viúva do homenageado, Mara Lúcia Pereira de Oliveira Magalhães, além de amigos e parentes. 

 Mara diz que viveu 20 anos com Magalhães e aprendeu com ele a nunca desistir de nada. “Não tenho nem palavras com tanta gratidão, tanta alegria, sinto que ele está aqui presente, Laudo foi um herói”, declara. 

Segundo Igor Santos, é uma grande honra homenagear Laudo Magalhães. “Paracatu tem essa peculiaridade de saber reconhecer as pessoas que deram grandes contribuições para a sociedade e Laudo viveu em prol das pessoas. Este trabalho que ele fez é insubstituível e único. Sabemos que a maior força da humanidade é a personalidade e é isso que temos que reconhecer”

 

O homenageado 

Laudo Luiz Magalhães nasceu aos 13 dias do mês de abril do ano de 1972, na cidade de Paracatu, Minas Gerais. Magalhães casou-se com Mara Lúcia, com quem teve dois filhos: Luiza e Luiz Henrique. Orfão de mãe aos 10 anos e de pai aos 19, Magalhães viu no exército brasileiro, uma oportunidade de crescimento. Não demorou muito para que se tornasse cabo, sempre dedicando-se integralmente a tudo que fazia. Na carreira militar, participou de diversas operações importantíssimas como o Impeachment de Collor, a troca da moeda para o Real, operação no Palácio do Buriti, guarda de honra em visitas de diversos chefes de estado: Yasser Arafat, Bill Clinton, Carlos Menem, além de várias outras missões nos Palácios da Alvorada, do Jaburu e Casa da Dinda (moradia oficial escolhida pelo então presidente Fernando Collor de Mello).

Ao longo da vida, Magalhães foi mostrando-se um homem que unia a simplicidade à solidariedade, demonstrando sua cordialidade e conduta inquestionáveis. De volta à amada Paracatu, Magalhães atuou como agente fiscalizador no Sindicato dos Trabalhadores Rurais, foi Diretor de agropecuária e abastecimento da Secretaria de Agricultura e Coordenador do Setor de Transportes da Secretaria de Saúde. Além de tudo, foi dos fundadores do CAP- Clube Atlético Paracatuense, onde sagrou-se Bicampeão da Taça da Cidade, levando os jovens a se dedicarem exclusivamente aos estudos e ao futebol, com o objetivo de anular qualquer possibilidade de que se envolvessem no mundo das drogas.

Laudo Magalhães também trabalhou por diversos anos como assessor especial de gabinete na Câmara Municipal, onde se relacionou com diversos políticos e foi responsável por grandes conquistas para a sociedade de sua terra natal.  Com seu espírito infinitamente solidário, Magalhães abraçou a causa não só de paracatuenses, mas de todas as pessoas que lutam pela vida e tornou-se, voluntariamente, Coordenador do Hospital de Câncer de Barretos em Paracatu. O Hospital do Amor acolheu 237 paracatuenses só no ano de 2019. A função de Magalhães era auxiliar na captação de recursos para o hospital que tem um gasto de R$ 40 milhões por mês e recebe somente 16 milhões em repasses do governo. Essa era sua luta diária, integrar a falange de anjos humanos, que organizam ações para conseguir os R$ 24 milhões que faltam todo mês e Magalhães não mediu esforços e lançou diversas campanhas, como cofrinhos para coletar o troco solidário no comércio, rifas, bingos e leilões.

A homenagem a Magalhães é uma homenagem ao amor ao próximo. A homenagem a Magalhães é o reconhecimento de um trabalho magnífico voltado aos que mais precisam. Hoje, Paracatu reconhece a dedicação deste filho que nunca buscou as luzes da ribalta em vida. Ao nos deixar em 5 de junho de 2021, Magalhães legou a Paracatu um exemplo do servir, um exemplo de trabalho pelo coletivo e essa homenagem eterniza este exemplo para todas as gerações futuras.

 

Assessoria de Comunicação

Comentários

O Lábaro

Posts Relacionados