Esfriou muito? Com a queda brusca das temperaturas, Cemig dá dicas para economizar na hora do banho

 Esfriou muito? Com a queda brusca das temperaturas, Cemig dá dicas para economizar na hora do banho

Com a aproximação do inverno e a chegada de uma frente fria, a regulagem mais potente e mais tempo de funcionamento do chuveiro elevam a conta de energia

  

Com a chegada de uma frente fria muito forte em todo estado, é natural correr até o chuveiro elétrico e mudar a temperatura para a maior potência possível. Mas se não tiver disciplina na hora do banho, o uso do equipamento pode elevar muito a conta de energia e se tornar um dos grandes vilões da economia doméstica. Dessa forma, com a temperatura ambiente baixa, é comum o aumento do gasto com eletricidade das residências, devido a banhos mais longos e à regulagem do chuveiro.

Segundo Thiago Douglas Ribeiro Batista , engenheiro de eficiência de energética da Cemig, isso tem uma explicação simples. “Uma hora de banho na temperatura ‘inverno’ por dia pode equivaler a dois televisores ligados durante 24 horas. O chuveiro é um equipamento com elevada potência e isso faz com que ele gaste mais energia do que outros eletrodomésticos”, detalha o especialista.

Porém, algumas atitudes podem ajudar na redução do gasto com eletricidade, mesmo nessa época do ano. Em primeiro lugar, é aconselhável ficar de olho no tempo de uso do chuveiro para reduzi-lo ao máximo, sem prejuízo para a higiene e o conforto. Além disso, fechar a torneira quando for ensaboar o corpo e lavar os cabelos interrompe o funcionamento do equipamento e o consumo de eletricidade.

Nas cidades de Minas Gerais com clima mais ameno, usar a chave de temperatura na posição “morna” ou “verão” também ajuda a economizar. “Na posição ‘verão’,  o consumo de energia cai 30%, o que, em uma residência, pode significar uma redução no consumo ao final do mês de até 10%”, explica o engenheiro da Cemig.

Outra dica é aproveitar para tomar banhos nos horários mais quentes do dia e manter as portas e janelas do banheiro fechadas para melhorar o conforto térmico.

Modelos no mercado

Atualmente, as lojas de materiais elétricos e de construção oferecem uma grande variedade de chuveiros, mas, na hora de escolher um novo equipamento, o consumidor deve ficar de olho na potência do aparelho, quanto maior a potência, maior o consumo. Chuveiros com potência de 5.500 watts, por exemplo, gastam 20% a mais do que com potência de 4.500 watts, nas mesmas condições de uso.

Modelos de menor potência possuem uma menor capacidade de aquecimento, contudo é possível manter a temperatura da água em um nível de conforto controlando a vazão, ou seja, não abrindo demasiadamente a torneira e mantendo um volume de água adequado. Com este procedimento, o funcionamento do chuveiro não muda, mas a menor quantidade de água é aquecida mais rapidamente e a um nível de temperatura maior.Alguns chuveiros vêm atualmente com um dispositivo de ajuste eletrônico, que permite uma múltipla seleção de temperatura, evitando assim a utilização exclusiva da potência máxima nos dias mais frios. “Esse recurso pode ser interessante para economia de energia, visto que proporciona maior quantidade de ajustes das temperaturas intermediárias. Desta forma, o equipamento tem mais opções e não precisa ficar apenas nas três posições dos chuveiros  e duchas tradicionais (inverno, verão e desligado)”, explica Thiago Douglas.

Manutenção: troca de resistência requer cuidado, saiba como fazer

1 – Trocar a resistência queimada do chuveiro é uma tarefa relativamente simples, mas, como qualquer execução de serviços na instalação elétrica, pode provocar choques se os devidos cuidados não forem tomados. Por isso, o mais prudente é que um profissional realize o serviço. Para fazer a substituição, a Cemig recomenda as medidas de segurança abaixo:

2 – Para qualquer intervenção nas instalações elétricas da residência, o disjuntor correspondente ao circuito elétrico deve ser desligado;

3 – Sempre adquira uma resistência nas mesmas características da original queimada; alterar pode comprometer a qualidade do produto, bem como as instalações elétricas, que já estavam projetadas para a resistência utilizada anteriormente;

4 – Após substituir a resistência e antes de ligar o disjuntor, abra a torneira e deixe-a aberta alguns segundos, o suficiente para que ela possa encher o chuveiro completamente de água, pois este procedimento evita a queima da resistência instalada;

5 – Utilize sempre conectores apropriados;

6 – No caso de substituição do chuveiro, verifique se a potência é compatível com a potência do chuveiro a ser instalado. Caso o novo equipamento tenha uma potência mais elevada, a instalação elétrica da residência deverá passar por uma inspeção de um profissional qualificado.

Crédito da foto: Divulgação Cemig

 

Sugestão legenda: Mesmo com as temperaturas muito baixas, é possível reduzir o desperdício de energia durante o banho. A Cemig dá dicas valiosas para que os clientes não tomem um susto na hora de receber a fatura de energia

Comentários

O Lábaro

Posts Relacionados