Prefeitura de Paracatu investe R$ 300 mil em Ecossistema de Inovação

 Prefeitura de Paracatu investe R$ 300 mil em Ecossistema de Inovação

Poder público e privado se unem para fortalecer o desenvolvimento da cidade

A frase “a união faz a força” pode até ser um clichê, mas, é muito bem empregada no Ecossistema de Inovação, projeto estratégico de desenvolvimento, que está sendo implantado em Paracatu. A Prefeitura, a Agência de Desenvolvimento Sustentável de Paracatu (ADESP), Casa do Empresário, o Centro Universitário Atenas, a Faculdade Finom, o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro (IFTM), o Sebrae e a Nexa são grandes parceiros desta iniciativa.

Segundo o gerente regional do Sebrae Noroeste e Alto Paranaíba, Marcos Alves, o “Ecossistema de Inovação” é um conjunto de atores, de entidades e instituições que atuam de forma convergente, para o desenvolvimento de um determinado território. “A importância deste projeto, em especial para Paracatu, é buscar a diversificação econômica e a manutenção da inteligência. Por ser uma cidade que tem condições econômicas pautadas, principalmente, na agricultura e na mineração, poderemos trazer novas formas de atuação em serviços especializados”.

Ainda de acordo com Alves, com o Ecossistema de Inovação, é possível gerar melhorias, através do desenvolvimento da tecnologia, por exemplo. “Este impacto positivo não será apenas nos negócios existentes, que já são estruturados, mas, a gente sabe que possuem dores e problemas a serem resolvidos. É preciso incrementar soluções para que os jovens e empresas inovadoras possam se instalar aqui e promover uma economia mais forte e diversificada, através do surgimento dos novos negócios”.

O Ecossistema de Inovação é democrático, aberto para qualquer pessoa que tenha uma ideia inovadora ou uma proposta de melhoria e a torne em algo real. O projeto cria todos os mecanismos favoráveis, para que negócios e profissionais inovadores fiquem na cidade.

Grupos de trabalho foram criados para colocar em prática ações de empreendedorismo, governança, investimentos e políticas públicas de incentivo à inovação. Nos primeiros encontros,  foi iniciada a estruturação, definindo os atores, objetivos, caminhos estratégicos e a forma que se comunica. A ideia é detalhar todo o processo desde a educação , que é a base do trabalho de qualquer ecossistema, até o final de mecanismos legais, para a criação de startups, a inovação e facilitação de editais para investimentos, programas de aceleração de mentorias e o  acompanhamento  desses negócios.

Segundo Roberta Antunes , assessora acadêmica do Centro Universitário  Uniatenas, este é um sonho antigo que está sendo realizado. “Acreditamos muito nesse trabalho e por meio dos cursos de graduação, vamos fazer parte deste projeto de maneira direta, queremos ver o surgimento de empresas, que trarão resultados para a sociedade”, declara.

O professor de administração do IFTM, Adriano José de Paula, diz que este projeto é muito grande, pois inclui a criação de uma incubadora de empresas. “Temos um investimento que vai dar muito suporte para o pequeno empresário, para as ideias e capacitar a nossa população, para que a gente consiga gerar desenvolvimento econômico. Vamos  fazer com que todas as ideias inovadoras e culturais sejam colocadas em prática”.

O secretário municipal de planejamento e desenvolvimento econômico, Ailson Rodrigues, explica que a prefeitura, por meio do fundo de desenvolvimento econômico, está investindo R$300 mil no Ecossistema de Inovação, para que o município encontre uma direção. “Essa junção de todas as instituições é um laboratório de ideias, de projetos. Isso vai ajudar o município a encontrar a veia do crescimento, de uma forma geral”, conclui.

Assessoria de Comunicação

Comentários

O Lábaro

Posts Relacionados