O QUE É E O QUE PARECE SER

 O QUE É E O QUE PARECE SER

foto para ilustração da internet

Dia desses, num dedo de prosa com meu irmão, um deles, dos mais velhos entre os homens, o melhor de nós.   Fez-me refletir e atentar para alguns fatos interessantes.   Muito observador me disse que assiste espantado aos telejornais e o âncora num horário ou momento “nobre”, chama a atenção de todos: -Agora a previsão do tempo!   E nós, atentos passamos a observar o que diz o “homem ou mulher do tempo”, notamos que fazem alusão a um dia ensolarado como “tempo bom”, nesse sentido, se chover, literalmente o tempo estaria ruim.   Noutra reportagem o(a) apresentador(a) enfatiza: -Uuuuurrrrgente!!!!! Na grande BH em apenas 45 minutos o rio Arrudas “não respeitando o seu próprio leito”, vejam bem! “invadiu mais de 30 casas construídas nas proximidades, a enorme enxurrada desalojou inúmeras famílias, levou móveis, derrubou barracos provocando xxx mortos e xxx feridos”.   O curioso do meu irmão indagando.   – O rio invadiu casas ou o homem ganancioso que é, invadiu os espaços que há séculos pertenceu ao rio?   Afinal quem ou o que está no lugar errado?   Completou.   De certa forma, está meu irmão coberto de razão, agem as pessoas como se o “espaço terra” existisse apenas e tão somente para atender e servir unicamente a um tipo de animal, o ser humano.   E o resto? A natureza, todos os outros animais, o clima com o vento, chuvas, o sol e sua influência, é bem verdade que fomos dotados com a capacidade de pensar, idealizar, usar os fenômenos naturais em prol da vida, até aí tudo certo, mas partir para controlar tudo estamos querendo ocupar a vaga, que não está vaga, do próprio senhor do Universo, Deus.   As pessoas idealizam sair à noite, compram roupas caras, ai vem a chuva, xingam Deus e o mundo.   Combinam entre si sair para o campo no final de semana, adquirem tudo que é necessário, carne, carvão, abastecem os veículos, adivinhe, a chuva veio de novo.   Aí como dizem muitos “Deus não ajuda”, outra vez, veste terno, a pessoa se sente linda, especial, a última azeitona gostosa do vidro, cabelo todo arrumado, o “Rei sol” vai esquentando, vai esquentando, o indivíduo começa a suar como nunca, e, acaba esbravejando: – PQP, essa M desse sol esquentou demais, parece perseguição comigo.   De novo, penso, em algum momento alguém disse que o sol existe para refrescar?   A função principal dele é aquecer e iluminar, é naturalmente quente.   Como pessoas parece termos perdido a noção das coisas, queremos tudo do nosso jeito a tempo e hora, paramos de nos adaptar às situações para viver em harmonia, cada um quer um tempo, clima, sol ou chuva de acordo com a própria vontade e interesse.   Da forma que andam as coisas, haverá um tempo que o resto do mundo, tudo, aí incluída principalmente a natureza, se organizará em revolta e cobrará de nós com juros todas nossas ações de insensatez, já é possível observar por todo o planeta alguns sinais.   O tempo dirá se tenho ou não razão.

Miguilim e João do Sêrro – Pensando

Boa semana!

Miguel Francisco do Sêrro

Comentários

O Lábaro

Posts Relacionados