Exposição: “Fotografias dos Grupos de Caretagem de Paracatu”

 Exposição: “Fotografias dos Grupos de Caretagem de Paracatu”

A Fundação Casa de Cultura entra o mês de junho com uma admirável exposição sobre a cultura de Paracatu.

Hoje dia 10 de junho a partir das 10 horas será aberta a exposição de “Fotografias dos Grupos de Caretagem de Paracatu”.

A Caretada é uma importante manifestação cultural tradicional de nossa cidade, que aos poucos está perdendo suas características e diminuindo suas apresentações, tanto na cidade quanto nos povoados de origem.

História

Dança de origem africana, a Caretada, também chamada de Caretagem, é uma tradição passada de geração a geração nas comunidades remanescentes de quilombos de Paracatu (MG). A festa é realizada em todos 23 para 24 de junho, coroando e precedendo a novena de São João Batista.

Na Comunidade de São Domingos acontece a maior e mais antiga Caretada da cidade, celebrada há mais de 200 anos. Esta manifestação é realizada apenas por pessoas negras, principalmente homens.

No rito da coreografia, são 40 elementos distribuídos em 20 damas (homens travestidos) e 20 cavalheiros. As mulheres não participam, pois são elas que preparam as comidas e bebidas para receberem os caretas nas casas, onde as pessoas comem e bebem à vontade durante a festa.

A indumentária é toda em fitas coloridas, terminadas por guizos de bronze. Os caretas usam também as máscaras, que, segundo dona Magna, eram utilizadas para que os senhores de escravos não reconhecessem quem estava dançando.

A instrumentação típica é composta de uma sanfona pé-de-bode, gaita ponto, pandeiro, caixa, violão, viola, rabeca e maraca. Tudo originalmente histórico e rústico, assim como as músicas cantadas pelos caretas.

Além de São Domingos, a Caretada de Paracatu também é realizada nos distritos do São Sebastião e Lagoa de Santo Antônio e nos bairros Alto do Açude e Paracatuzinho.

Serviços:

Local: Fundação Casa de Cultura

Horário: 10 horas

Cidade: Paracatu-MG

Créditos das fotos: Vandeir Silva e Betina Teixeira

Foto da exposição: Janaína Campos

Comentários

O Lábaro

Posts Relacionados