Conheça parcerias já firmadas pelo IBGE para realização do Censo

 Conheça parcerias já firmadas pelo IBGE para realização do Censo

A três meses para início de uma das maiores operações censitárias do mundo, o IBGE segue firmando parcerias com instituições públicas e privadas para visitar mais de 70 milhões de domicílios brasileiros, e fazer cumprir a principal função do Censo Demográfico: contar a população em todo território nacional, a partir de 1º de agosto.

Diversos acordos já foram estabelecidos para a montagem dos postos de coleta, cessão de mobiliário, apoio logístico e de divulgação, sem custo adicional, para a operação que vai mobilizar o país inteiro.

Principal fonte de referência sobre as condições de vida da população, o Censo 2022 revelará as características dos domicílios, identificação étnico-racial, nupcialidade, núcleo familiar, fecundidade, religião ou culto, deficiência, migração interna ou internacional, educação, deslocamento para estudo, trabalho e rendimento, deslocamento para trabalho, mortalidade e autismo. Conheça as parcerias firmadas recentemente para a operação:

CNM

No último dia 26 abril, o presidente do IBGE, Eduardo Rio Neto, firmou um convênio com a Confederação Nacional dos Municípios (CNM), visando à troca de informações entre as duas instituições para a realização do Censo. O acordo foi realizado durante a XXIII Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios, em Brasília. O evento contou com a participação de mais de 3 mil prefeitos de todo o país.

No encontro, o presidente da CNM, Paulo Ziulkoski, ressaltou a parceria de longa data com o Instituto e enfatizou a importância dos dados fornecidos na divisão dos recursos do Fundo de Participação dos Municípios, uma transferência constitucional da União para os estados, que fazem o repasse aos municípios. “O Fundo exige números precisos para a divisão de cotas. E cada cota representa entre R$ 2,5 milhões e R$ 3 milhões anuais no caixa da prefeitura”, explicou. “Cabe às prefeituras ajudarem o IBGE no trabalho de recenseamento de cada cidadão”, ressaltou.

TSE

O IBGE solicitou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que e servidores, temporários ou efetivos, não sejam requisitados para trabalhar nas eleições, já que a coleta do Censo, prevista para começar em agosto, vai ocorrer simultaneamente ao pleito nacional, em outubro. Parceiro de longa data dos Tribunais Regionais Eleitorais, o IBGE também expos a dificuldade de ceder, neste ano, estrutura para as eleições, incluindo a sua frota de carros, já que os veículos serão usados nas atividades censitárias.

Em reunião em março, com o presidente do IBGE, Eduardo Rio Neto, acompanhado do diretor de Pesquisas, Cimar Azeredo, e do assessor da presidência do IBGE, Sinval Santos, o presidente do TSE, ministro Edson Fachin, reconheceu que as eleições e o Censo garantem interesses importantes para o Brasil, tanto para retratar o país quanto para reforçar a democracia. Fachin lembrou também que a responsabilidade do Censo é de toda a sociedade e colocou o Tribunal à disposição para apoiar no que for necessário. “TSE e IBGE trabalham numa via de reciprocidade, no mesmo campo dos deveres cívicos”, declarou o ministro.

INSS

Eduardo Rios Neto, Cimar Azeredo e Sinval Santos também estiveram no INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). Em reunião formal, em março, ficou estabelecido, um acordo de cooperação técnica para utilização de salas das agências do órgão para a instalação de postos de coleta, unidades de trabalho temporárias que servem de base para recenseadores e seus supervisores nas atividades de suporte, gerenciamento das informações e controle da coleta de dados.

O INSS tem agências em mais de 1.500 municípios. Gerentes-executivos estão avaliando a capacidade de cada agência para ser revertida em posto de coleta do Censo. A previsão é de que, até maio, as unidades viáveis já estejam todas definidas. Além do espaço físico, as agências cederão móveis e equipamentos. A parceria não prejudicará o atendimento aos segurados, e a rotina das agências continuará normalmente.