INTERPRETAR E SOFRER

 INTERPRETAR E SOFRER

Nota-se estreita relação entre o nosso estado de espírito e a nota que atribuímos a tudo que vemos. Se estamos com a mente leve, sem maiores perrengues nos atormentando, em regra estamos mais em reais condições de entender tudo que acontece nas proximidades onde nos encontramos. Há um dizer antigo e muito certo que afirma: “Afaste-se o máximo que puder de um possível problema, analise-o sob todos os aspectos, observe, meça, pense, calcule, depois se aproxime novamente, é possível que enxergue a coisa ou fato com outros olhos, aí, poderá concluir que o bicho definitivamente não é tão feio quanto parecia”. Então INTERPRETAR e dar nota de forma rápida, pode nos levar a cometer erros, entendendo de forma diversa a mensagem que nossos olhos mandaram para o cérebro. O nível de segurança e confiança prévia que temos em relação a determinados assuntos, nos induz a dar interpretação de imediato às mensagens captadas por nossa visão, e, ao deixarmos aspectos técnicos de lado, podemos até mesmo não agir com justiça, nunca devemos esquecer que nem tudo que parece, é. Entendo que é difícil ao extremo lidar com o cérebro humano, se alguém é exigido em determinado momento de forma a ficar instável, sem querer, fica com os “nervos à flor da pele”, portanto, mais sensível, e, de quebra, a pessoa fica mais propensa a avaliar mal os fatos que vê. É necessário estarmos muito atentos aos fatos que envolvem qualquer convivência e a forma de nos relacionarmos, lidar com emoções não é tarefa fácil. A melhor maneira de buscar soluções para os conflitos é partirmos à caça do real estado de espírito de quem nos rodeia, assim, talvez consigamos nos relacionar melhor e até evitar qualquer deslize que possa gerar insatisfações. CONFIANÇA é a palavra chave para muitos dos nossos problemas, muitas vezes temos “trocentos” motivos para CRER em algo, porém, teimamos em olhar para o “chifre na cabeça do cavalo” e SOFRER INTERPRETANDO as coisas contrariando a própria lógica. Por vivermos num mundo capitalista onde “levar vantagem” sobre tudo e todos é a regra, de forma quase natural até mesmo como defesa, desenvolvemos uma ideia de que em tudo que vemos “estão me passando para traz” aparece como primeira resposta, essa resposta pronta e imediata é péssima. Para finalizar, ao fixarmos muitas dessas respostas negativas como verdades, erramos muito, e como consequência, SOFREMOS e causamos SOFRIMENTO, não defendo nessas minhas palavras que tudo seja visto e entendido sempre com exagerado otimismo, penso, que ao menos quando estivermos diante de algo ruim, devemos observar a coisa ou fato na forma realista, assim, poderemos evitar sempre que puder, sofrimento desnecessário provocado por interpretação fora da lógica. Como humanos, todos nós merecemos votos de confiança, nesse caso, principalmente em instantes de dúvidas, cabe dar uma interpretação mais otimista aos fatos e atitudes que presenciamos, entendo que agindo assim, viveremos mais felizes, ou menos insatisfeitos.
Miguilim garimpando formas de convivência – Boa Semana!
Miguel Francisco do Sêrro – Advogado e Historiador

Comentários

O Lábaro

Posts Relacionados