FELIZ QUEM?

 FELIZ QUEM?

 

Bem de manhã todos olham maravilhados o Astro Rei e sem ter dúvidas falam, feliz é o sol, no começo do dia surge imponente, sem pedir licença ilumina o que está perto e longe, e tudo que é ser vivo dele depende.   Então o sol arregala os incandescentes olhos, e, sem concordar, se junta aos demais e manifesta.   Feliz mesmo é a noite, todo santo dia, no seu exato momento vem, torna tudo escuro como breu, e coloca todos para dormir.   A noite com mais um coro de vozes por sua vez fala, ora a chuva é quem deve se considerar feliz, rega as plantas, mata a sede e ainda lava toda a sujeira!   A chuva insatisfeita discorda, convoca os demais e grita.   Não!   Feliz é o vento, de acordo com sua vontade viaja, transpõe fronteiras sem passaporte, ora age como brisa e toca suavemente os rostos, refresca os mais quentes ambientes, assopra e varre com força descomunal onde quer que passe, e, quando nervoso pode se desabafar em forma de tufão.   O ser humano dotado da sabedoria divina que a tudo assistiu, prostra-se perante Deus e agradece!

-Obrigado senhor!   Poucas vezes tenho discernimento bastante para agradecer por tudo de grandioso que colocas à minha disposição!   Tudo que há no mundo veio da vossa infinita bondade.   Obrigado!   Mil vezes obrigado!

Miguilim agradecido – Bom final de semana!

Miguel Francisco do Sêrro – Advogado

 

Comentários

O Lábaro

Posts Relacionados