Estudantes de medicina e a santa vacina

 Estudantes de medicina e a santa vacina

foto da internet para ilustração

O jornal O Lábaro recebeu um pedido dos alunos de medicina da UniAtenas para que apurássemos sobre a falta da vacinação e desinformações sobre a vacina.

O aluno Josué de Brito estudante do ultimo ano de Medicina da UniAtenas nos passou o depoimento abaixo:

Desde o início da vacinação no município de Paracatu, estamos entrando em contanto com a faculdade e com as autoridades sanitárias em busca de informações sobre a vacinação. Fomos informados, após orientação do MEC, que os estudantes foram incluídos no grupo prioritário. Diante disso, inicialmente ficamos tranquilos acompanhando a evolução da vacinação no município. Recentemente, dia 09 de fevereiro, houve a deliberação CIB-SUS nº 3.319, que determinou, seguindo as diretrizes do Programa Nacional de Imunizações, que os trabalhadores de saúde que atendiam COVID-19 estavam dispostos entre o quarto e o décimo primeiro extratos do grupo prioritário, devendo, segundo essa normativa, ser seguida essa ordem. Tentamos vários contatos com o Secretário de Saúde e apenas a informação que recebíamos era que estávamos no grupo prioritário. Em vários outros municípios, temos acadêmicos que lidam diretamente com a doença já vacinados. Aqui não houve nenhuma dose destinada até o presente. No último dia 28, recebemos através do vídeo do excelentíssimo prefeito no qual atualiza sobre o decreto das medidas restritivas, a notícia de que a nossa vacinação seria iniciada na próxima remessa. Pela impressa descobrimos que esta semana o município recebe novas doses de vacina, contudo, não serão destinadas aos estudantes, conforme conversas informais e vídeo do próprio secretário que informa a destinação.  Estamos perdidos diante dessa situação. Sem um norte. Sem saber mais em quem confiar e onde buscar.  Anteriormente, alguns colegas chegaram a procurar o Ministério Público que, conforme nota em seu site, se posicionou favoravelmente a vacinação de estudantes. Não entendemos ter sido desconsiderado mesmo tendo contato diário com pacientes sintomáticos e estarmos inseridos no Sistema Único de Saúde.

Perguntamos ao aluno Josué como a UniAtenas está reagindo em relação a esta situação?

A Faculdade sempre se posicionou muito aberta nessa demanda, fornecendo-nos toda nova informação que receberam e acolhendo os vários alunos que estão buscando uma solução dessa situação atípica. A informação que temos é que está em contanto diuturno com a administração pública buscando soluções. Informaram que já encaminharam a lista de alunos que estão atuando nos estágios curriculares obrigatórios.

Procuramos a comunicação da pasta da Secretaria Municipal de Saúde, que nos passou o seguinte oficio em resposta:

Nota da Secretaria de Saúde sobre a vacinação dos estudantes de áreas da saúde

A Secretaria Municipal de Saúde solicitou à Gerência Regional de Saúde (GRS) que os estudantes da área de saúde, atuantes no enfrentamento à covid-19, sejam incluídos como grupo a ser vacinado na próxima remessa de imunizantes que for enviada à cidade.

Contudo, neste momento, não é possível afirmar a data da imunização. Isso porque os municípios dependem que o Ministério da Saúde (MS) envie as doses de vacinas.

Para entender o fluxo

O MS envia as remessas com imunizantes ao estado de Minas Gerais, que as distribui para as Gerências Regionais de Saúde (GRS), que então as envia aos municípios. A GRS a qual Paracatu está vinculada é a de Unaí. Ao enviar os imunizantes, a GRS define o público que será vacinado com aquelas doses, seguindo o Plano Nacional de Imunização (PNI).

Assim que as doses destinadas aos estudantes da área da saúde forem enviadas para Paracatu, a Secretaria informará as datas da vacinação.

Assessoria de Comunicação

 

 

Comentários

O Lábaro

Posts Relacionados