Disque-Censo 137 é mais um instrumento da sociedade para a sociedade

 Disque-Censo 137 é mais um instrumento da sociedade para a sociedade

Na reta final, a coleta do Censo Demográfico depende agora do apoio irrestrito da sociedade e do acesso incondicional aos moradores. Por isso, reunidos em Brasília para uma longa agenda de trabalho, 27 superintendentes do IBGE reforçaram o apelo à população que ainda não participou do Censo para que use o Disque-Censo 137. Segundo eles, esse serviço é fundamental para ajudar a concluir a coleta domiciliar e alcançar os moradores de domicílios onde ninguém ainda respondeu ao recenseador.

Para os superintendentes, o melhor aproveitamento do 137 depende essencialmente da colaboração da sociedade, depende do cidadão para funcionar bem. “Importante destacar que o Disque-Censo é mais uma ferramenta de inovação efetiva visando reforçar a qualidade da operação censitária. É um instrumento à disposição da sociedade em benefício da sociedade”, enfatizou Cimar Azeredo, presidente interino do IBGE.

Confira o que mais disseram:

“O serviço do 137 é uma opção que o IBGE oferece para que a sociedade possa exercer seu direito de responder ao Censo. Vem funcionando muito bem em Sergipe. Conseguimos atender os chamados de forma rápida e eficiente. Mas precisamos de participação maior, principalmente nos municípios onde os recenseadores têm dificuldade de encontrar os moradores”.

Adriane Sacramento, superintendente em Sergipe

“O IBGE disponibilizou o Disque-Censo para a sociedade brasileira com a finalidade de dar a oportunidade a todos e todas de se certificarem e garantir o recenseamento de seus domicílios, enquanto a coleta segue em campo. Assim, de fato, exercendo sua cidadania”.

Millane Chaves, superintendente no Mato Grosso

“O 137 é um canal prático de comunicação que tem dupla finalidade: de um lado, servir ao cidadão para que ele exerça seu direito de cidadania; de outro lado, ouvindo-o, o IBGE presta conta da gestão do Censo de forma transparente e legítima. E ainda serve como controle de qualidade”.

Maria Antonia Esteves da Silva, superintendente em Minas Gerais

“Percorremos todo o território, visitamos todos os domicílios, e agora, nessa fase de revisão, estamos retornando àqueles domicílios ainda em aberto. Por isso a importância de o próprio morador ligar para o 137 e solicitar nossa presença. Para o IBGE exercer sua missão, sua obrigação, é necessário que a população exerça seu direito”.

Edson Vieira, superintendente em Goiás

“No Amazonas, o serviço está disponível em todos os municípios do estado. Pedimos à população amazonense ainda não recenseada: não fique fora do Censo 2022. Se você ainda não foi visitado pelo recenseador, ligue para o serviço 137, mais uma alternativa que o IBGE disponibiliza para que os cidadãos brasileiros exerçam sua cidadania respondendo ao Censo 2022, a favor do Brasil”.

José Ilcleson Mendes, superintendente no Amazonas

“O Disque-Censo atende aos 217 municípios do Maranhão e é uma oportunidade de as pessoas exercerem sua cidadania, a favor de suas cidades, de seus bairros e de seus interesses. Além disso, ajuda ao IBGE e ao país na finalização da operação censitária”.

Marcelo Melo, superintendente no Maranhão

“Trata-se mesmo de um serviço fundamental, sobretudo para dar esclarecimento e satisfação, pois é muito comum encontrarmos pessoas que dizem que não foram recenseadas e que agora podem contatar o IBGE no sentido de se certificar com precisão ou fazer valer seu direito. O 137 é uma maneira de o IBGE dar à sociedade ao mesmo tempo uma oportunidade e uma resposta”.

Roberto Kern, superintendente em Santa Catarina

“A partir das demandas do Disque-Censo, nossas equipes estão se deslocando em todo o estado do Tocantins para atender quem ainda não conseguiu ser recenseado. Ele é mais um elemento de integração da comunicação entre a sociedade e o IBGE, estabelecendo um contato direto entre o solicitante e o Instituto.”

Paulo Ricardo Amaral, superintendente no Tocantins

“O 137 é uma ferramenta importante nessa reta final da coleta. Abre linha direta com a sociedade para realizarmos as entrevistas nos domicílios onde ainda há dificuldades de acesso aos moradores. Além de ser uma ótima oportunidade de esclarecer àquelas pessoas que acham que ainda não foram recenseadas, quando, na verdade, um outro morador já recebeu o recenseador e respondeu ao Censo”.

André Urpia, superintendente na Bahia

Como funciona o serviço 137

A ligação para o Disque-Censo 137 é gratuita e pode ser feita de qualquer telefone fixo ou celular todos os dias da semana, das 8h às 21h30. O atendimento telefônico conta com 120 agentes censitários de pesquisa. Para saber se o Disque-Censo 137 está disponível em seu município, clique aqui.

Iniciativa inédita no IBGE, o 137 é um telefone disponibilizado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e configura um serviço de utilidade pública. As ligações são recebidas por atendentes de uma central de atendimento específica para esse serviço.

Ao receber a ligação, o atendente pede que o morador se certifique de que nenhuma outra pessoa que reside no domicílio respondeu ao Censo, pois basta que um morador forneça as informações por todos. Caso o morador confirme que ninguém no domicílio respondeu, a ligação prossegue e o atendente solicita o endereço para verificação.

A partir da conferência no banco de dados, o atendente informa ao morador se o endereço consta como visitado ou não. Se o domicílio tiver sido visitado, a informação é passada ao morador e a ligação é encerrada. Caso o endereço não tenha sido visitado, o atendente informará que um recenseador irá presencialmente ao domicílio.

Para mais informações sobre esse assunto acesse a página do IBGE na Internet – www.ibge.gov.br ou diretamente na Agência de Notícias IBGE – http://agenciadenoticias.ibge.gov.br/

Comentários

O Lábaro

Posts Relacionados