CLIC

 CLIC

Anteontem um pequeno decréscimo no número de mortos na Itália, alívio.   Num outro dia publicações de marinheiros dos EUA dando conta da descoberta do medicamento eficaz para detonar o Corona 19.   Governadores entrando em briga verbal com o Presidente da República, daí observo, as siglas dos partidos dos dirigentes brigões não são as mesmas, putz!   Eu pergunto, essa briga é efetiva preocupação com a saúde dos governados ou é mais campanha política que traduzida, tem objetivo de possibilitar reeleição?   Há momentos que fico remoendo numa chamada “audoindagação”, porque penso?   Porque nos desgastamos tanto nos mergulhando em estado de puro sofrimento?   Efetivamente, pensar dói.    Sendo honesto, não entendo muito da política praticada no nosso pais, vi o pronunciamento do Jair Bolsonaro ontem, em cinco minutos ele muniu meio mundo de adversários políticos ao dizer o que pensa, além de umedecer a boca dos funcionários da Globo com gotas de maldade.           Há muito tempo tinha em mente que a única forma de mudar definitivamente e de modo significativo coisas erradas no país, seria elegendo um caboclo meio bruto.  Esse aí tem um monte de defeitos, mas até hoje não se mostrou medroso e faz enquanto administra as coisas que o homem médio sensato faria.   Vendo hoje os jornais constato que a Espanha apresenta um número de mortos pela COVID 19, cuja quantidade supera a própria China, tá feio a coisa.   Preso pelas restrições advindas da quarentena, estou meio sem condições de fazer uso das chamadas liberdades, estão me cerceando o direito de ter direito.   Daí, se você está se sentindo meio assim tal qual eu, descobri um santo remédio, enfia o pé nos fundilhos do seu telefone, sabe aquele rádio que você herdou de um parente uns anos antes?   Compre uma marreta pesada e não me pergunta para que.   A televisão?    Basta um CLIC.    Vá ler um bom livro, se alimentar e depois dormir, amanhã, por certo, será um dia melhor.

Miguilim dando pitaco-Lembre que a semana começa domingo, já estamos do meio para o fim.

Miguel Francisco do Sêrro – Historiador e Advogado

Comentários

O Lábaro

Posts Relacionados