A APARÊNCIA

 A APARÊNCIA

Os sentidos do ser humano a meu ver têm algo de excepcional, indicam ou apontam o valor que atribuímos a tudo que nos rodeia, o olfato nos auxilia, o tato colabora, mas a visão é dos cinco o mais espetacular sentido, penso.   O que ouvimos nos alerta ou amedronta, por vezes nos alegra se o som já é conhecido, o paladar está diretamente ligado às particularidades de gosto que cada um tem em saborear os alimentos.   Somos muitas vezes instigados a nos aproximar ou nos afastar em decorrência do cheiro exalado, o olfato ditará nossa próxima ação, se de atração ou repulsa.   O tato tem o poder especial de transmitir impulsos das mais variadas espécies, muito valorizado nos contatos que envolvem mais proximidade entre os seres.   Mas o que há de tão especial no bendito sentido da visão?   Mesmo conhecendo os casos de pessoas que por alguma razão não possuem visão, e que por aprimorar a audição e sensibilidade do tato, vivem e convivem de tal forma que parece não necessitar tanto do que seus olhos poderiam ver, entendo que os benefícios advindos da visão são imensuráveis, o que você enxerga mesmo a grande distância já vai lhe dando um parâmetro para agir, seus olhos vêm o belo e o feio, lhe permite avisar ao cérebro quando o semblante de quem vem indica alegria ou tristeza, te alerta dos perigos, te convidam ou expulsam, são amáveis e fulminantes, não falam mas se fazem entender.   No mundo em que vivemos onde o que parece vale mais que a própria verdade, o sentido dominado pelos olhos que enxergam faz muita diferença.   Conta demais a APARÊNCIA, a roupagem dada a determinada coisa vista por todos é o que mais vale, daí, a humanidade vira e meche e acaba levando gato por lebre, sejamos cuidadosos portanto, para evitar sofrimento, não seja apenas bom, lembre-se sempre de fazer com que os OUTROS vejam que você é efetivamente bom, a APARÊNCIA conta mesmo.   Obviamente relatei fatos mundanos, claro que para Deus, desnecessário a propaganda, ELE sempre saberá quando, quanto e como agimos, para ELE, A APARÊNCIA é colocada no campo dos supérfluos, não conta.

Miguilim – Vendo e tentando entender – Boa quarta-feira!

Miguel Francisco do Sêrro – Advogado e Historiador

cinco sentidos tradicionalmente conhecidos: visão, audição, paladar, olfato e tato

 

 

 

Comentários

O Lábaro

Posts Relacionados