Paracatu, uma cidade encantadora

 Paracatu, uma cidade encantadora

História

A história do surgimento da cidade de Paracatu passa por hipóteses de quem teria descoberto o local e dado início ao povoamento. Uma versão conta o descobrimento a partir de Bartolomeu Bueno da Silva, o Anhanguera, na sua passagem em demanda dos sertões de Goiás, o que teria sido entre 1717 e 1718; outra faz referências a Felisberto Caldeira Brant, em 1734 ou ainda entre 1743 e 1744, de forma que não se pode situar com precisão, cronologicamente, o início do povoado que teria dado origem à atual cidade, onde, segundo documentos do arquivo eclesiástico, já havia em 1736 cinco grandes igrejas.

Por provisão régia, de 4 de agosto de 1746, foram nomeados um juiz ordinário e um tabelião para Paracatu, já então arraial importante, com comércio ativo com a Bahia, através dos rios Paracatu e São Francisco, assim como, por via terrestre, com Sabará, São João Del Rei e Vila Rica.

A atividade econômica dos primeiros habitantes baseava-se na extração de ouro, cujas lavras eram riquíssimas, e a tradição afirma ter sido colhidas somente num decênio, cerca de 168 arrobas do precioso metal.

A 3 KM de Paracatu foi fundado o arraial de São Domingos, por José Rodrigues Froes e seu irmão, do qual apenas existem uma pequena capela e algumas míseras cabanas. Outros arraiais também foram fundados nos locais das respectivas lavras, conforme vestígios que podem ser encontrados nos dias de hoje.

Paracatu ainda levou alguns anos para ser reconhecida como cidade, por Alvará de 20 de outubro de 1798, foi o antigo arraial elevado à categoria de vila, verificando-se a instalação do mesmo juntamente com a Primeira Câmara, a 18 de dezembro de 1799. E só em 1840, por lei, a vila foi elevada à cidade.

A Igreja de Santo Antonio, em Paracatu, Minas Gerais, é uma rara matriz que não tem torre. O templo de arquitetura simples foi erguido no tempo da mineração, no Século 18

Lugares maravilhosos para conhecer:

 

Paracatu está localizado no sudeste brasileiro, mais precisamente no noroeste do estado de Minas Gerais, na divisa com Goiás. O município faz divisa com Unaí, João Pinheiro, Lagoa Grande, Vazante e Guarda-Mor, em Minas, e Cristalina e Ipameri, em Goiás. Duas rodovias cortam o município, a BR-040 (VIA 040), que liga Brasília ao Rio de Janeiro,  e a MG-188, que vai de Cabeceiras-MG a Patrocínio-MG.

Comentários

O Lábaro

Posts Relacionados