Estatísticas de Gênero: Indicadores sociais das mulheres no Brasil

 Estatísticas de Gênero: Indicadores sociais das mulheres no Brasil
    • MG é o 3º estado com a maior diferença no número de horas semanais dedicadas aos cuidados de pessoas e/ou afazeres domésticos entre homens e mulheres
    • MG é o 3º estado com a menor proporção de mulheres docentes no ensino superior
    • MG é o 4º estado com a menor representatividade feminina no Congresso Nacional
    • MG é o 3º estado com a menor taxa de fecundidade adolescente do país

O Dia Internacional da Mulher (8 de março) traz a oportunidade de aprofundar as reflexões sobre o papel atual e esperado das mulheres na sociedade; as desigualdades persistentes entre homens e mulheres em suas distintas dimensões de análise; e o exercício de direitos e equalização de oportunidades, independentemente do sexo. Enquanto responsável pelas estatísticas oficiais brasileiras, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), com a divulgação da 2ª edição do estudo Estatísticas de gênero: indicadores sociais das mulheres no Brasil, reforça a importância da produção de indicadores de gênero com um duplo objetivo: enriquecer o debate, proporcionando informações destacadas sobre o tema, e corroborar a importância de se manter uma agenda pública permanente, que coloque a igualdade de gênero como um dos eixos estruturantes da formulação de políticas públicas no País.

Veja detalhes sobre esta divulgação no release anexo ou aqui.

 


Para mais informações sobre esse assunto acesse a página do IBGE na Internet – www.ibge.gov.br ou diretamente na Agência de Notícias IBGE – http://agenciadenoticias.ibge.gov.br/

Comentários

O Lábaro

Posts Relacionados