Cemig investe mais de R$ 170 milhões na automatização do sistema elétrico de Minas Gerais

 Cemig investe mais de R$ 170 milhões na automatização do sistema elétrico de Minas Gerais

Recursos serão utilizados em todas as regiões da área de concessão da empresa em 2021

Com o objetivo de modernizar ainda mais o sistema elétrico de Minas Gerais, a Cemig está investindo, somente neste ano, cerca de R$ 173 milhões na instalação de 7.445 religadores na sua área de concessão. Esses equipamentos trazem um grande benefício para a continuidade do fornecimento de energia, pois recompõem o sistema elétrico automaticamente, no menor tempo possível, em caso de interrupções por defeitos transitórios.

A Cemig possui a maior rede de distribuição de energia elétrica da América do Sul, com mais de cerca de 540 mil quilômetros de linhas e redes. Os religadores são instalados nas redes elétricas urbanas e rurais. Somente na Região Norte de Minas, a companhia vai adicionar 1.400  novos equipamentos à rede de distribuição.

“Nas cidades, a instalação dos equipamentos busca atender áreas com grande concentração populacional e de manutenção da vida, como hospitais por exemplo, e assim garantir a continuidade do abastecimento para o maior número de clientes em caso de uma oscilação transitória na rede elétrica. Em áreas rurais, em que os circuitos são longos e atendem a clientes muitas vezes dispersos, a instalação de religadores agiliza o restabelecimento a essas unidades, evitando que os defeitos afetem circuitos maiores”, afirma Gleiston Bianch Andrade,  gerente de Gestão de Ativos da Distribuição.

Caso haja um problema na rede elétrica de distribuição, como sobrecarga por curto circuito, os religadores automáticos realizam ciclos de aberturas e fechamentos do sistema elétrico.  Visto que a maioria dos falhas de alimentação é passageira e é provocada por ventanias, raios ou materiais externos em contato com a rede elétrica, esses equipamentos solucionam, na maioria das vezes, de forma rápida essas ocorrências temporárias, além de isolar os trechos com defeitos, em casos mais complexos.

“Os religadores são essenciais para o rápido restabelecimento dos nossos clientes, em caso de ocorrências no sistema elétrico. Dessa forma, quando uma árvore cai sobre a rede elétrica, por exemplo, e interrompe o fornecimento de energia, o sistema já identifica o ponto onde houve a interferência, e o equipamento isola a área danificada para normalizar imediatamente o fornecimento de energia para os clientes que tiveram o serviço interrompido e não estão naquele determinado trecho defeituoso”, explica o gerente da Cemig.

Maior investimento na rede elétrica de Minas Gerais 
Entre 2018 a 2022, os investimentos da Cemig em melhorias em linhas de distribuição, subestações, religadores, redes de média e baixa tensão e medidores, por exemplo, compreenderá um montante superior a R$ 6 bilhões. O valor contribuirá para viabilizar o desenvolvimento econômico e social do estado, uma vez que será distribuído por todas as regiões de Minas Gerais. Para 2021, os investimentos previstos mais de R$ 2 bilhões.

Dessa forma, juntamente com os esforços do Governo do estado de Minas Gerais, os investimentos na rede de distribuição reforçam o comprometimento da Cemig para o desenvolvimento das diversas regiões e classes de clientes, promovendo o desenvolvimento da economia e melhoria da qualidade de vida dos mineiros.

Crédito da foto: Divulgação Cemig

Comentários

O Lábaro

Posts Relacionados