LAMPEJOS

 LAMPEJOS

 

Nos instantes de agonia, amarguras, sofrimento propriamente dito de cada um, ficamos a refletir e em refletindo lançamos uma serie de indagações.   Por quê?   Como?    O que ocasionou?   Na vida de quem quer que seja sempre surge uma “via sacra” ou mais, e certamente Deus fica nos observando como conduzimos as coisas nos momentos ruins, de que forma reagimos ante as dificuldades, se abaixamos a cabeça, se vamos à luta, se combatemos de frente os males que nos acometem.   Por certo, o Criador nos dotou de capacidades para com esforço, criatividade e muita dedicação podermos trilhar caminhos que nos levem a sair vitoriosos dos problemas que forem surgindo.   Deus não nos prometeu uma vida de pleno sossego, seu filho Jesus durante a sua vida na terra enfrentou incontáveis desafios, a nós restou também um legado que inclui trabalho e algum sofrimento.   Aí você me pergunta, e a felicidade?   Ora, a felicidade também existe, está sempre próxima de nós essa bendita felicidade.   Como encontra-la?   Dependerá sempre do nosso estado de espírito, porém, não se atinge um tempo infinito só de felicidades, esse sentimento bom surge em fases, como se aparecesse nas nossas vidas tal qual um pássaro viajante, vem e vai quando menos esperamos.   A felicidade acontece em flashes, uns mais duradouros, outros não.   Melhor explicando os momentos felizes são lampejos (pequenos fachos) de luz, que brilham, às vezes mantêm por determinado tempo a luz, depois apaga.   Por fim, tente não deixar na sua vida passar em branco esses LAMPEJOS, para alguns de nós eles são mais raros, aproveite ao máximo enquanto seu espírito estiver sob o efeito dessa luz maravilhosa, viva plena e intensamente seus instantes (momentos) de felicidade, nunca se sabe se e quando surgirão novos e bons lampejos.

Miguilim vivendo de pequenos lampejos

Miguel Francisco do Sêrro – Advogado e historiador.

 

 

 

 

Comentários

O Lábaro

Posts Relacionados